sábado, 9 de outubro de 2010

DANÇA COM LOBOS


A Enciclopédia Microsoft Encarta descreve a estrutura do Lobo como, mamífero aparentado com o chacal e o cachorro doméstico; é carnívoro e pode medir até 1,6 m de comprimento, incluindo a cauda. Tem “dentes muito poderosos” e cauda peluda. “Forma grupos familiares” e costuma caçar em bandos, sobretudo no inverno. Pais e crias constituem a unidade básica do grupo, “que se estabelece em um território” e o defende marcando-o com urina e fezes. Os lobos têm uma estrutura social muito hierarquizada e mostram modelos de comportamento para informar sua posição social de domínio ou submissão.

Todo esse arcabouço do lobo põe em evidência os “lobistas” aqui no Brasil. O lobo com dentes afiados os usa para destroçar a caça, aqui, porém, a presa é outra e as armas também são outras, assemelhando-se só no fim de suas atitudes, o engordar às custas de outros.

 A formação do grupo familiar do lobo indica a família do lobista. A Veja, uma das revistas de maior circulação nacional, destaca a ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, e seu filho lobista, Israel, que lideravam o grupo em parceria com a família de Marco Antônio (ex-diretor dos Correios) e de Vinícios Castro, o ex-assessor da Casa Civil, que ao encontrar R$200.000,00 reais em propina em sua gaveta na Presidência, exclamou “Caraca! Que dinheiro é esse?”. Tem ou não tem semelhanças à família do lobo com a do lobista brasileiro? Todos eles caçam em bandos.

Marcar território é uma característica do lobo, e do lobista também. Nesses últimos dias foram identificados alguns territórios, como por exemplo, os Correios, BNDES, Anac, Anatel e Infraero. Bom! Essas foram só as empresas que a imprensa, caçadora de lobistas, divulgou. Sabe lá se há mais territórios demarcados por aí, sendo que a “pátria amada” é tão grande, não é mesmo?

O pior é o abarcamento do atual presidente, seu Lula, e de sua candidata, sua Dilma, com os lobistas, vizinho de salas no parlamento. O envolvimento foi tão sério que chamou atenção do filósofo Roberto Romano, quando disse a Veja sobre os caçadores de lobistas “os parlamentares, como só pensam em receber recursos do Executivo, abriram mão de sua função de vigiar o governo. O Tribunal de Contas da União tentou assumir a função, mas foi silenciado. O Ministério Público Federal, inexplicavelmente, desistiu de investigar. A Polícia Federal está sob controle. Nesse cenário, a única ‘caçadora de lobistas’ e fiscal do governo é a imprensa”.

Na verdade, o brasileiro que vive no meio disso tudo, é quem está cansado de ser caçado. John Dubar, protagonista do filme “Dança com Lobos”, também expressou o esgotamento de sua alma com a guerra e com os valores da sociedade norte americana, retirando-se da Tennessee urbana, para um forte isolado no Sioux, em 1863, convivendo harmoniosamente com uma tribo indígena. Geralmente acompanhado de seu cavalo Cisco e de um lobo com quem faz amizade, passa a ser chamado "Dança com Lobos", pelos peles-vermelhas. Apesar de tudo, Dubar não consegue evitar a expansão colonialista do branco. Mas é melhor dançar com o lobo feroz, que com os ferozes lobistas.

Por

Pr. Gilmar Tavares Reis

5 comentários:

  1. Olá! É melhor dançar com o lobo feroz, que com os ferozes lobistas. Até a próxima!

    ResponderExcluir
  2. A revista Veja não serve de base para reflexão, tendo em vista ser tendenciosa e parcial (assim como a Rede Globo).

    ResponderExcluir
  3. Isso acontece em todos os lugares, até no meio cristão.
    Hoje é dificil você não se ver em meio ou conhecer alguns lobistas.
    É importante ser falado sobre isso, pra que abra os olhos de pessoas influenciadas por pessoas maldosas, pessoas que fazem-se de ovelhas, mas são lobos ferozes e nada submissos.

    ResponderExcluir
  4. [b]reações revelam caráter.

    ResponderExcluir