segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

NECESSIDADE MISSIONÁRIA_Janela 10X40

       
          Janela 10/40 é uma faixa da terra que se estende do Oeste da África, passa pelo Oriente Médio e vai até a Ásia. A partir da linha do equador, subindo forma um retângulo entre os graus 10 e 40. A esse retângulo denomina-se JANELA 10/40.
         Calcula-se que até hoje menos da metade da população mundial com as suas etnias e línguas tenham sido confrontadas com o evangelho. A outra parte, com sua maioria absoluta na Janela 10/40, representa uma grande multidão de cerca de 3,2 bilhões de pessoas que ainda são objetos dos empreendimentos missionários do povo de Deus.

          Os países com as maiores populações não cristãs são: CHINA, ÍNDIA, INDONÉSIA, JAPÃO, BANGLADESH, PAQUISTÃO, NIGÉRIA, TURQUIA e IRÃ, todos na Janela 10/40.

          Devido a estes fatos, torna-se primordial para nós, cristãos, neste novo milênio, focalizar nossos recursos, sejam espirituais, financeiros ou sociais, sobre o necessitado povo que vive na Janela 10/40.

          Se desejamos mudar este quadro, devemos considerar alguns fatos de muita importância:
- O significado Bíblico e histórico

- O domínio do islamismo, do hinduismo e do budismo

- A pobreza acentuada

- A diversidade de línguas e culturas

- A concentração de seitas diabólicas

Países que formam a Janela 10/40

ORIENTE MÉDIO – 21 PAÍSES

Arábia Saudita, Argélia, Catar, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Irã, Iraque, Israel, Palestina, Jordânia, Kuweit, Líbano, Líbia, Marrocos, Mauritânia, Omã, Síria, Sudão, Tunísia e Turquia.

ÁFRICA – 12 PAÍSES
Benin, Burkina, Cabo Verde, Chade, Djibuti, Etiópia, Gâmbia, Guiné, Guiné-Bissau, Mali, Níger e Senegal.

ÁSIA – 21 PAÍSES
Afeganistão, Bangladesh, Barein, Butão, Camboja, China, Coréia do Sul, Coréia do Norte, Filipinas, Índia, Japão, Laos, Malásia, Maldivas, Mongólia, Nepal, Paquistão, Sri Lanka, Tailândia, Taiwan (Formosa) e Vietnã.

EURÁSIA – 3 PAÍSES
Cazaquistão, Turcomênia e Tadjiquistão.

EUROPA – 4 PAÍSES
Albânia, Chipre, Gibraltar e Grécia.

          Nem todos os crentes sabem que no mundo ainda há povos completamente ignorantes da existência de Jesus Cristo e seu plano redentor. Poucos se importam em saber que hoje no oriente há cristãos presos e sendo torturados por causa de sua fé. Quantos têm um programa intensivo de oração pelos povos não alcançados pelo evangelho? Saber que há povos cometendo suicídios e guerras, por falta de esperança ou fanatismo, não é um assunto que interessa a todos os cristãos.

          Os cristãos no mundo estão direcionando apenas 1,2% do seu fundo missionário e de seus missionários estrangeiros para bilhões de pessoas que vivem no mundo evangelizado.

              No mundo ainda há dezenas de país com suas portas total ou parcialmente fechadas à entrada de missionários.

          Há 28 países muçulmanos (sem incluir seis da antiga união soviética), 7 nações budistas, 3 Marxistas e 2 países hindus, formando o maior aglomerado de povos não alcançados.

Porque evangelizar os povos da Janela 10/40

- Porque ali vive o maior número de povos não alcançados pelo evangelho. Cobre 1/3 total do planeta e representa 2/3 da população do mundo. São cerca de 3,2 bilhões de - pessoas em 61 países.
- Porque ali está a maioria dos seguidores das 3 maiores religiões do mundo: Islamismo, Budismo e Hinduismo.

- Porque de cada 10 pobres na terra, 8 estão nessa região.
- Porque dos 50 países menos evangelizados do mundo 37 estão nessa área.
- Porque as maiores Capitais do mundo estão nessa região.
          De acordo com os missiólogos, há diversidades no número de povos não alcançados pelo evangelho hoje. Para Ralph Winter, há 17 mil povos não alcançados e 12 mil línguas. David Barrete declara que são 11 mil o número total de povos não alcançados. Bob Waymire também arrola 11 mil povos diferentes no mundo. Patrick Johnstone avalia em 12.017 o total de povos não alcançados em todo o mundo. Subtraindo desse número os povos entre os quais há cristãos, missionários de fora e autóctones, restam apenas 1.200 povos a serem alcançados. Em sua perspectiva, 99% da população do mundo serão cobertos, inteiramente, com a mensagem do evangelho se ela for transmitida, no máximo, entre 400 e 500 línguas diferentes.
        Então concluímos que missões, ainda não é um assunto sério para muitas igrejas. Enquanto templos são enfeitados e grande parte do tempo é utilizada para inúmeros programas, missões é ocasional, ainda não é assunto íntimo.

O Mundo dos povos não alcançados

Segundo alguns estudiosos, temos aqui algumas estatísticas:
- Cada hora 10.700 crianças nascem e morrem sem escutar as Boas Novas em países da Janela 10/40;

- Cada hora de esforço missionário resulta em 9.800 pessoas escutando o evangelho pela primeira vez;
- O resultado é a redução no mundo não evangelizado de 500 pessoas a cada hora, ou pouco mais que 4 milhões de pessoas por ano.
- 9 em cada 10 países mais pobres do mundo estão na África e 8 destes são parte do mundo menos evangelizado.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

NECESSIDADE MISSIONÁRIA_Guiné-Bissau



Guiné-Bissau, república do noroeste da África, que faz fronteira ao norte com o Senegal, a leste e ao sul com a Guiné e a oeste com o oceano Atlântico. Fazem parte do país aproximadamente sessenta ilhas que constituem o arquipélago de Bijagós. As ilhas maiores são a Formosa e a Orango. A superfície total, incluídas as ilhas, é de 36.125 km2. A capital é Bissau.
Uma planície costeira pantanosa se eleva até um planalto no leste. Numerosos rios formam estuários e são quase todos navegáveis. O clima é tropical e a temperatura média anual chega aos 25o centígrados. A estação das chuvas começa em junho e termina em novembro. A vegetação é composta de manguezais e selvas tropicais na planície costeira, e de savana no planalto. Esta área proporciona, entre outras riquezas, madeiras tropicais duras. Existem depósitos de bauxita, fosfatos, zinco e cobre, mas não é praticada a mineração. Na costa, há jazidas de petróleo.
Tem uma população (2001) de 1.315.822 habitantes; a densidade da população é de 31 habitantes por quilômetro quadrado.
·         A capital, Bissau, segundo estimativas de 1988, tem 138.000 habitantes;
·         Os principais grupos étnicos são os balantes, os fulas ou fulanis, os mandjacos, os malinkês e os pepeles. Os oriundos do Cabo Verde formam uma minoria, pequena mas importante;
·         Do total da população, 65% respeitam as crenças tradicionais, 30% (sobretudo fulanis e malinkês) são muçulmanos e cerca de 5% são cristãos;
·         O idioma oficial é o português (ver Língua portuguesa), mas está muito difundido o crioulo, uma mistura de termos portugueses e africanos.

OBS: Na década de 1980 havia 680 escolas de ensino primário e secundário, que acolhiam mais de 93 mil estudantes. O país tem também escolas de formação de professores para atender os programas governamentais visando reduzir a alta taxa de analfabetismo entre os adultos.
A agricultura é de subsistência, baseada na cultura do arroz, milho, tanchagem e mandioca. Os principais produtos agrícolas com valor comercial são o amendoim — cultivado no interior —, os produtos derivados das palmeiras — que crescem nas ilhas e no litoral — e o caju. A indústria pesqueira é uma importante fonte de divisas. No interior, tem importância a criação de gado. A indústria se resume à transformação de matérias-primas e à produção de bens básicos de consumo. O país tem 5.060 km de estradas, mas só 8% delas está asfaltado. A moeda é o peso, dividido em cem centavos. A constituição aprovada em 1984 outorga o poder legislativo a uma assembléia nacional popular, formada por 150 membros, que designa os 14 membros do Conselho de Estado e seu presidente, que está também à frente do governo. Em 1999, o produto interno bruto era 194,37 milhões de dólares; e o PIB per capita 160 dólares.
Os balantes e os pepeles se estabeleceram no século XII. Em 1446, Nuno Tristão, um negreiro português, visitou a região, que rapidamente chegou a ser um importante centro do tráfico de escravos (ver Escravidão africana). Em 1687, estabeleceu-se um posto comercial português em Bissau, mas franceses e britânicos disputaram a hegemonia aos portugueses. Os britânicos tiveram um breve período de domínio em Bolama, mas, em 1879, Guiné transformou-se em colônia portuguesa. Portugal assinou um acordo com a França, em 1886, que acabou com os conflitos fronteiriços, embora os portugueses tivessem que esperar até 1915 para exercer um poder efetivo no país.
Em 1952, foi uma província de ultramar. Amílcar Cabral, um intelectual cabo-verdiano, fundou em 1956 o Partido Africano para a Independência de Guiné-Bissau e as ilhas de Cabo Verde (PAIGC), que iniciou sua luta no início da década de 1960. Em setembro de 1973, os rebeldes proclamaram uma república independente e pediram o reconhecimento internacional. No dia 10 de setembro de 1974, Portugal outorgou oficialmente a independência de Guiné-Bissau. O novo país, com a presidência do líder do PAIGC, Luís de Almeida Cabral (irmão de Amílcar), estabeleceu o controle do comércio internacional e deu os primeiros passos para um estado socialista, autorizando a nacionalização de todas as grandes propriedades. Um golpe militar proclamou João Bernardo Vieira — integrante do mesmo PAIGC — primeiro-ministro em 1980. Ele foi reeleito em 1994. Em 1997, o país aderiu à zona franca União Econômica e Monetária do Oeste africano. Em julho desse ano, Vieira visitou o Brasil e assinou um acordo de cooperação técnica, outro na área de turismo e um terceiro para a ampliação de número de bolsas de estudo.
  
Enciclopédia Microsoft® Encarta®. Microsoft Corporation.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Martin Luther King Jr.

"Eu tenho um sonho..."
O homem que tinha esse sonho passaria toda a vida à busca dele, daria sua vida a favor dele.
Seu nome era Martin Luther King Jr., e seu sonho era este: "... que um dia meus quatro filhos possam viver em uma nação onde não sejam julgados pela cor de sua pele, mas pelo seu caráter". Essas palavras abalariam os Estados Unidos.
O jovem ministro nasceu em uma família de pastores batistas e foi educado na Morehouse College e no Seminário Teológico Crozer. Ele obteve seu doutorado na Universidade de Boston. Em 1954, tornou-se pastor da Igreja Batista da Avenida Dexter, na cidade de Montgomery, no Estado americano do Alabama.
Um ano depois, uma mulher negra, Rosa Parks, deu um passo que mudaria a vida de Luther King. Embora os negros, de acordo com as exigências, só pudessem ocupar os assentos na parte de trás dos ônibus municipais, ela se sentou na frente, pois os de trás estavam ocupados. Ela ocupou o primeiro assento disponível na parte da frente. Rosa foi presa por quebrar a lei de segregação.
Em apoio a essa mulher, Martin Luther King Jr. liderou um boicote ao sistema de ônibus de Montgomery. Afinal de contas, a maioria dos passageiros daquele sistema de transporte era formada de negros, que estavam sendo tratados de maneira injusta. Desse modo, os negros se recusariam a entrar nos ônibus enquanto durasse a discriminação. Eles achavam que "era mais honroso andar pelas ruas com dignidade do que andar de ônibus e serem humilhados".
Esse boicote durou um ano, mas, por fim, os negros venceram essa luta e, com essa vitória, Martin Luther King Jr. foi lançado na luta pelos direitos civis nos eua.
Influenciado pelo método de não-violência de Gandhi, Luther King e outras pessoas começaram a protestar. "Vamos igualar sua capacidade de infligir sofrimento [...] façam conosco o que vocês quiserem e continuaremos a amar vocês", respondeu Luther King aos seus opositores. Seguindo os passos de Jesus, ele anunciou: "Jesus proclamou na cruz, de maneira eloqüente, uma lei superior. Ele sabia que a antiga filosofia do olho por olho deixaria todo o mundo cego. Ele não combatia o mal com o mal. Ele combatia o mal com o bem. Embora crucificado pelo ódio, ele reagiu com um amor enérgico e ativo".
Com a organização da Conferência Sulista de Liderança Cristã, liderada por Luther King, ele começou a fazer uma campanha nas cidades do sul: Jackson, Selma, Meridian e Birmingham. Entretanto, sua influência, à medida que liderava os ataques às injustiças sociais nas cidades do norte, estendeu-se além disso.
Um círculo bem próximo composto de ministros protestantes negros, entre os quais estava Jesse Jackson, apoiava Luther King, mas, em pouco tempo, brancos, católicos e judeus se uniriam à sua causa. Seu método de não-violência foi recebido com cavalos, cassetetes, cães e espancamentos. Embora muitos cristãos o apoiassem, alguns dos principais oponentes de Luther King também professavam o nome de Cristo. Na primavera de 1963, Luther King foi preso por ter liderado uma marcha de protesto na cidade de Birmingham, no Alabama. Os pastores de Atlanta o criticaram por ter deixado sua igreja em Montgomery. "Que direito ele tinha de se envolver onde não fora chamado?", perguntavam eles.
Em sua Carta de uma prisão em Birmingham, Luther King declarou que "a injustiça em qualquer lugar ameaça a justiça em todo lugar". Para os que não foram alcançados pelos "penetrantes dardos da segregação" e o aconselhavam a esperar, ele respondeu: "... quando você é acossado durante o dia e assombrado à noite simplesmente pelo fato de ser negro, e tem de andar constantemente pisando em ovos, sem nunca saber o que esperar, além de ser incomodado por temores interiores e ressentimentos exteriores; quando você tem sempre de lutar contra uma sensação perversa de não ser considerado gente — então você entenderá por que achamos difícil esperar".
A Marcha até Washington, em 1963, se tornaria um dos acontecimentos mais importantes na história da luta pelos direitos civis, pois, por sua influência, acredita-se que foram aprovadas as leis do direito civil de 1964 e a lei de direito ao voto de 1965. Durante a marcha, Martin Luther King, Jr. expôs o seu sonho: "Eu tenho um sonho, que um dia meus quatro filhos possam viver em uma nação onde não sejam julgados pela cor de sua pele, mas pelo seu caráter [...] Com esta fé, seremos capazes de extrair da montanha do desespero a pedra da esperança. Com esta fé, seremos capazes de transformar as contendas desarmoniosas de nossa nação em uma maravilhosa sinfonia de irmandade. Com esta fé, seremos capazes de trabalhar juntos, de orar juntos [...] sabendo que um dia seremos livres".
Em 1964, Luther King recebeu o prêmio Nobel da Paz, um reconhecimento parcial da validade desse sonho.
Luther King, em 1968, foi para a cidade de Memphis, no Estado do Tennessee, em apoio a uma greve dos coletores de lixo. No dia 4 de abril, enquanto conversava com colegas no corredor externo do segundo andar do hotel, na Mulberry Street, em que estava hospedado, foi alvejado por um assassino. Embora a bala tenha lhe tirado a vida, não pôs fim àquele sonho.
Em resposta à coragem e ao testemunho determinado desse ministro, o dia de Martin Luther King foi instituído nos eua, a terceira segunda-feira de janeiro. Ele é o único ministro religioso americano a ter um dia dedicado à sua honra.

Livro: Os 100 acontecimentos mais importantes da história do Cristianismo.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

William Franklin Graham (1918- )


O evangelista americano Billy Graham, como é chamado, é provavelmente o pregador mais conhecido em todo o mundo. Tendo estudado na Universidade Bob Jones, no Florida Bible Institute e no Wheaton College, o Dr. Billy Graham foi ordenado pela Convenção Batista do Sul em 1939, e tornou-se pastor da Primeira Igreja Batista em Western Springs, Illinois, em 1943.
Logo após, contudo, tornou-se um evangelista itinerante. O calor da sua pregação atraiu audiências cada vez maiores nos Estados Unidos. Em 1949 pregou para mais de 350.000 pessoas em Los Angeles durante oito semanas, e posteriormente este número foi muitas vezes ultrapassado. Na primeira viagem missionária fora dos Estados Unidos, um milhão de pessoas esteve presente nas suas pregações em Glasgow - foi o início de um reavivamento. Depois ele viajou para o Oriente, em 1956, para a Oceania, em 1959, e para a África e Israel em 1960. Daí em diante, começou a viajar por todo o mundo, chegando a pregar em quase 200 países.
Billy Graham iniciou a Conferência Mundial de Evangelização, em Berlin (1966), concebeu a Conferência de Lausanne (1974), onde se discutiu a evangelização e o envolvimento social dos cristãos, e teve notável participação na Conferência da Paz, em Moscou (1982) e no Congresso Missionário de Amsterdã (1983). Em 1974 pregou no Rio de Janeiro numa cruzada de quatro dias - mais de 25.000 pessoas se decidiram. Noutra pregação em Moscou, em 1992, aproximadamente 40.000 almas entregaram-se a Cristo.
A Associação Evangelística Billy Graham planeja e coordena suas cruzadas, presta aconselhamento e realiza o acompanhamento dos decididos. O evangelista tornou-se conhecido por tratar as finanças de forma transparente, assessorado por um grupo competente de profissionais. Seu nome nunca esteve envolvido em escândalos morais ou financeiros. É por essa razão que seu nome sempre foi respeitado nos EUA, tanto na comunidade evangélica como no contexto secular. Sua pregação evita doutrinas polêmicas e controvertidas, e geralmente  limita-se aos alicerces da fé. Seus sermões são simples e focalizados na mensagem de salvação para os perdidos.
Além do púlpito, seu ministério utiliza a televisão, o rádio e a mídia impressa. A postura de Billy Graham nunca foi proselitista; sempre teve como objetivo a multiplicação, e não a divisão. Ele decidiu jamais trabalhar numa cidade sem primeiro ter um convite de representantes da maioria das igrejas locais, e sempre encaminhar os novos convertidos para as igrejas da região. Alguns questionaram a permanência destas conversões, mas dos cerca de três milhões que ele trouxe para Cristo em suas cruzadas mais de 70% tornaram-se membros de alguma igreja, e muitos têm se tornado obreiros de tempo integral ou tomado outras posições de responsabilidade, permanecendo em sua decisão já por diversas décadas.
 Billy Graham é conhecido também por diversos livros publicados, dentre os quais vários traduzidos para o português. Destacamos aqui o Espírito Santo, de Edições Vida Nova.


CD_Pregue a Palavra