quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

DESENROLEM AS FAIXAS



     Um homem chamado Lázaro estava doente. Ele era do povoado de Betânia, onde Maria e a sua irmã Marta moravam.
     (Esta Maria era a mesma que pôs perfume nos pés do Senhor Jesus e os enxugou com os seus cabelos. Era o irmão dela, Lázaro, que estava doente.)
       As duas irmãs mandaram dizer a Jesus: —Senhor, o seu querido amigo Lázaro está doente!
      Quando Jesus recebeu a notícia, disse: —O resultado final dessa doença não será a morte de Lázaro.                 
      Isso está acontecendo para que Deus revele o seu poder glorioso; e assim, por causa dessa  doença, a natureza divina do Filho de Deus será revelada.
      Jesus amava muito Marta, e a sua irmã, e também Lázaro.
      Porém quando soube que Lázaro estava doente, ainda ficou dois dias onde estava.
      Então disse aos seus discípulos: —Vamos voltar para a Judéia.
     Mas eles disseram: —Mestre, faz tão pouco tempo que o povo de lá queria matá-lo a pedradas, e o senhor quer voltar?
      Jesus respondeu: —Por acaso o dia não tem doze horas? Se alguém anda de dia não tropeça porque vê a luz deste mundo.
      Mas, se anda de noite, tropeça porque nele não existe luz.
     Jesus disse isso e depois continuou: —O nosso amigo Lázaro está dormindo, mas eu vou lá acordá-lo.
     —Senhor, se ele está dormindo, isso quer dizer que vai ficar bom! —disseram eles.
   Mas o que Jesus queria dizer era que Lázaro estava morto. Porém eles pensavam que ele estivesse falando do sono natural.
     Então Jesus disse claramente: —Lázaro morreu, mas eu estou alegre por não ter estado lá com ele, pois assim vocês vão crer. Vamos até a casa dele.
     Então Tomé, chamado “o Gêmeo”, disse aos outros discípulos: —Vamos nós também a fim de morrer com o Mestre!
     Quando Jesus chegou, já fazia quatro dias que Lázaro havia sido sepultado.
     Betânia ficava a menos de três quilômetros de Jerusalém, e muitas pessoas tinham vindo visitar Marta e Maria para as consolarem por causa da morte do irmão.
     Quando Marta soube que Jesus estava chegando, foi encontrar-se com ele. Porém Maria ficou sentada em casa.
     Então Marta disse a Jesus: —Se o senhor estivesse aqui, o meu irmão não teria morrido!
     Mas eu sei que, mesmo assim, Deus lhe dará tudo o que o senhor pedir a ele.
      —O seu irmão vai ressuscitar! —disse Jesus.
      Marta respondeu: —Eu sei que ele vai ressuscitar no último dia!
     Então Jesus afirmou: —Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim nunca morrerá. Você acredita nisso?
     —Sim, senhor! —disse ela. —Eu creio que o senhor é o Messias, o Filho de Deus, que devia vir ao mundo.
     Depois de dizer isso, Marta foi, chamou Maria, a sua irmã, e lhe disse em particular: —O Mestre chegou e está chamando você.
     Quando Maria ouviu isso, levantou-se depressa e foi encontrar-se com Jesus.
      Pois ele não tinha chegado ao povoado, mas ainda estava no lugar onde Marta o havia encontrado.
     As pessoas que estavam na casa com Maria, consolando-a, viram que ela se levantou e saiu depressa. Então foram atrás dela, pois pensavam que ela ia ao túmulo para chorar ali.
    Maria chegou ao lugar onde Jesus estava e logo que o viu caiu aos pés dele e disse: —Se o senhor tivesse estado aqui, o meu irmão não teria morrido!
     Jesus viu Maria chorando e viu as pessoas que estavam com ela chorando também. Então ficou muito comovido e aflito e perguntou: —Onde foi que vocês o sepultaram? —Venha ver, senhor! —responderam.
Jesus chorou.
      Então as pessoas disseram: —Vejam como ele amava Lázaro!
     Mas algumas delas disseram: —Ele curou o cego. Será que não poderia ter feito alguma coisa para que Lázaro não morresse?
     Jesus ficou outra vez muito comovido. Ele foi até o túmulo, que era uma gruta com uma pedra colocada na entrada, e ordenou: —Tirem a pedra! Marta, a irmã do morto, disse: —Senhor, ele está cheirando mal, pois já faz quatro dias que foi sepultado!
    Jesus respondeu: —Eu não lhe disse que, se você crer, você verá a revelação do poder glorioso de Deus?
     Então tiraram a pedra. Jesus olhou para o céu e disse: —Pai, eu te agradeço porque me ouviste.
     Eu sei que sempre me ouves; mas eu estou dizendo isso por causa de toda esta gente que está aqui, para que eles creiam que tu me enviaste.
     Depois de dizer isso, gritou: —Lázaro, venha para fora!
     E o morto saiu. Os seus pés e as suas mãos estavam enfaixados com tiras de pano, e o seu rosto estava enrolado com um pano. Então Jesus disse: —Desenrolem as faixas e deixem que ele vá.
     Muitas pessoas que tinham ido visitar Maria viram o que Jesus tinha feito e creram nele.

João 11.1-45

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

NÃO MORREU




     Enquanto Jesus estava falando ao povo, um chefe religioso chegou perto dele, ajoelhou-se e disse: —A minha filha morreu agora mesmo! Venha e ponha as mãos sobre ela para que viva de novo.
     Então Jesus foi com ele, e os seus discípulos também foram.
     Certa mulher, que fazia doze anos que estava com uma hemorragia, veio por trás de Jesus e tocou na barra da capa dele.
     Pois ela pensava assim: “Se eu apenas tocar na capa dele, ficarei curada.”
     Jesus virou, viu a mulher e disse: —Coragem, minha filha! Você sarou porque teve fé. E naquele momento a mulher ficou curada.
     Depois Jesus foi para a casa do chefe religioso. Quando viu os que tocavam música de enterro e viu a multidão numa confusão geral, disse: —Saiam todos daqui! A menina não morreu; ela está dormindo! Então começaram a caçoar dele.
     Logo que a multidão saiu, Jesus entrou no quarto em que a menina estava, pegou-a pela mão, e ela se levantou.
     E a notícia a respeito disso se espalhou por toda aquela região.

Mt 9.18-26
Mc 5.22-24; 35-43
Lc 8.41-42; 49-56

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

NÃO CHORE



       Jesus foi para uma cidade chamada Naim. Os seus discípulos e uma grande multidão foram com ele.
       Quando ele estava chegando perto do portão da cidade, ia saindo um enterro. O defunto era filho único de uma viúva, e muita gente da cidade ia com ela.
       Quando o Senhor a viu, ficou com muita pena dela e disse: —Não chore.
      Então ele chegou mais perto e tocou no caixão. E os que o estavam carregando pararam. Então Jesus disse: —Moço, eu ordeno a você: levante-se!
       O moço sentou-se no caixão e começou a falar, e Jesus o entregou à mãe.
      Todos ficaram com muito medo e louvavam a Deus, dizendo: —Que grande profeta apareceu entre nós! Deus veio salvar o seu povo!

Lucas 7.11-16

terça-feira, 27 de novembro de 2012

ESPIRITUALIDADE: identidade de Cristo.



LANÇAMENTO DO SEGUNDO LIVRO DE 


Pr. GILMAR TAVARES REIS


02 de dezembro de 2012 as 10h00

Aguarde este livro. Sua vida será impactada.


Prefácio: Profª Ms Berencice Araujo - Pindamonhangaba SP


        Prefaciar o livro, Espiritualidade – Identidade de Cristo, do pastor Gilmar Tavares é uma honra. Primeiramente, esta obra nasceu do cultivo do desejo de fazer as coisas para Deus da melhor maneira possível e em segundo lugar, depois de ter sido impactado pela espiritualidade de Bonhoeffer, o tomou como referência para a elaboração da monografia que serviu como Trabalho de Conclusão de Curso de Teologia no IBAD.
        Neste livro, o pastor com ardor e entusiasmo, conduz o leitor à reflexão sobre a atual necessidade do cristão, tanto na condição de igreja, de líder e de indivíduo, a vivenciar uma espiritualidade que seja sustentada pelo princípio bíblico do senhorio de Jesus Cristo. Assim, iniciando com a qualidade de uma espiritualidade na visão de Jesus, passa pela visão na perspectiva de Dietrich Bonhoeffer, pela compreensão da teologia e da espiritualidade cristocêntrica.  Por fim, o autor levanta uma reflexão sobre o desvio de rumo da espiritualidade e as consequências disto sobre a igreja contemporânea.
        Caro leitor, a mensagem deste livro faz um convite a você para a vivência de uma espiritualidade de identidade de Cristo.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

O MOTIVO PELO QUAL CRISTO MORREU


Por que Cristo morreu?

Por que Cristo morreu? Quem foi responsável por sua morte? Muitos não vêem problema algum nestas perguntas e, portanto, não têm dificuldade alguma em responder a elas. Para esses, os fatos parecem tão claros como o dia. Jesus não "morreu", dizem; ele foi morto, executado publicamente como um criminoso. Achavam que as doutrinas que ele ensinava eram perigosas, até mesmo subversivas. Os dirigentes judaicos ficaram furiosos com sua atitude desrespeitosa para com a lei e com suas reivindicações provocadoras, enquanto os romanos ou¬viram dizer que ele se estava proclamando rei dos judeus, e, assim, desafiava a autoridade de César. Para ambos os grupos, Jesus parecia ser um pensador e pregador revolucionário, e alguns o consideravam também como ativista revolucionário. Ele perturbou o status quo tão profundamente que decidiram acabar com ele. De fato, entraram em uma aliança maligna a fim de fazê-lo. No tribunal apresentou-se uma acusação teológica contra ele, blasfêmia. No tribunal romano a acusação era política, sedição. Mas quer seu delito tenha sido visto como primariamente contra Deus, quer contra César, o resultado foi o mesmo. Percebiam-no como uma ameaça à lei e à ordem, a qual não podiam tolerar. De modo que o liquidaram. Por que ele morreu? Ostensivamente, ele morreu como um criminoso, mas na realidade, como a vítima de mentes medíocres, e como um mártir de sua própria grandeza.
Um dos aspectos fascinantes que os escritos dos relatos dos Evangelhos fazem do julgamento de Jesus é essa mescla de fatores legais e morais. Todos eles indicam que tanto no tribunal judaico como no romano seguiu-se certo procedimento legal. A vitima foi presa, acusada e examinada, e chamaram-se testemunhas. Então o juiz deu o seu veredicto e pronunciou a sua sentença. Contudo, os evangelistas também esclarecem que o preso não era culpado das acusações, que as testemunhas eram falsas, e que a sentença de morte foi um horrendo erro judicial. Além do mais, o motivo desse erro foi a presença de fatores pessoais e morais que influenciaram a execução da lei. Caifás, sumo sacerdote judaico, e Pilatos, procurador romano, não eram apenas oficiais da igreja e do estado, no cumprimento e execução de seus deveres oficiais; eram seres humanos decaídos e falíveis, levados pelas paixões sombrias que governam a todos nós. Pois nossos motivos são confusos. Podemos ter êxito em preservar um pouco de retidão no desempenho do dever público, mas por trás dessa fachada espreitam emoções violentas e pecaminosas, as quais estão ameaçando explodir. Os evangelistas expõem esses pecados secretos, enquanto contam a história da prisão, julgamento, sentença e execução de Jesus. É um dos propósitos da sua narrativa, pois o material dos Evangelhos era usado na instrução oral dos convertidos.

John Stott



quarta-feira, 10 de outubro de 2012

CLIVE STAPLES LEWIS ou C. S. Lewis

          Nascido na Irlanda em 1898, C. S. Lewis estudou no Malvern College durante um ano, recebendo a seguir uma educação ministrada por professores particulares. Ele formou-se em Oxford, tendo trabalhado como professor no Magdalen College de 1925 a 1954. Em 1954 tornou-se Catedrático de Literatura Medieval e Renascentista em Cambridge. Foi uni conferencista famoso e popular, exercendo grande influência sobre seus alunos.

          C. S. Lewis conservou-se ateu por muitos anos, tendo descrito sua conversão no livro “Surprised by Joy”: “No Termo da Trindade de 1929 entreguei os pontos e admiti que Deus era Deus... talvez o convertido mais desanimado e relutante de toda a Inglaterra.” Foi esta experiência que o ajudou a compreender não apenas a apatia mas também a resistência ativa por parte de certas pessoas em aceitarem a idéia de religião. 

          Como escritor cristão, caracterizado pelo brilho e lógica excepcionais de sua mente e por seu estilo lúcido e vivo, ele foi incomparável. O Problema de Sofrimento, Cartas do Inferno, Cristianismo Autêntico, Os Quatro Amores e As Crônicas de Narnia são apenas alguns de seus trabalhos mais vendidos. Ele escreveu também livros excelentes para crianças e outros de ficção científica, além de muitas obras de crítica literária. 

          Seus trabalhos são conhecidos por milhões de pessoas em todo o mundo através de traduções. C. S. Lewis morreu a 22 de novembro de 1963, em sua casa em Oxford, Inglaterra.


terça-feira, 11 de setembro de 2012

FAMÍLIA CRISTÃ - Desafios para hoje.




Em breve!!!

MAIS UM LIVRO PARA ABENÇOAR SUA VIDA.

Lançamento: 29 . setembro . 2012.


Prefácio: Pr. Enoque Vieira . Goiânia GO


Certamente a família cristã tem diante de si variados e terríveis desafios nestes tempos pós-modernos. Indubitavelmente, o maior desafio que se coloca à Família hoje, é exatamente o de permanecer família cristã, numa sociedade, senão anticristã é, sem sombra de dúvidas, pós-cristã.
O Pastor Gilmar Tavares Reis apresenta ao público evangélico os recursos disponibilizados na Palavra de Deus àqueles que desejam triunfar como família cristã nessa realidade que atravessamos.
Tendo em vista tamanhos desafios, urge que não desistamos jamais, pois Deus, que é o arquiteto da família, é também o seu sustentador.  Portanto, se dependermos de sua graça e dos recursos que Ele nos oferece na Bíblia, podemos vencer a tentação de reclamarmos e murmurarmos e, então, tornar-nos-emos referencial divino para outras famílias à medida que elas perceberem a diferença que fizermos como família cristã.
Sermos astros e luzeiros de Deus no mundo certamente exigirá que sejamos, também, irrepreensíveis e inculpáveis, embora vivendo em meio a uma geração corrompida e perversa. Este é, inquestionavelmente, o nosso maior desafio. Os valores morais fundamentais à ética cristã foram abandonados por essa sociedade permissiva e que relativiza tudo. Se não há valores de certo e errado que sejam absolutos e normativos, todas as questões éticas passam a ser julgadas no tribunal das opiniões subjetivas. E sem absolutos objetivos, a sociedade se anarquiza e se autodestrói.
Portanto, conforme proposto pelo autor desta obra, faz-se necessário que encaremos tais desafios confiados em Deus e encorajados pelos recursos de sua graça, lutemos sem jamais entregar os pontos, pois só os covardes desistem, e só os que lutam são dignos da vitória.
Que Deus faça uso desta obra no sentido de despertar as famílias cristãs para o enfrentamento desses desafios, ajudando-nos a fazer frente ao terrível e acelerado processo de desagregação da família, conforme ela nos é apresentada nas Sagradas Escrituras.
A nós cristãos não interessa qualquer família, o que efetivamente queremos e buscamos é ser família cristã, ainda que criticados por homens perversos e corrompidos em seus valores. Nós somos família cristã e pela graça de Deus haveremos de manter nosso compromisso de defendê-la como instituição divina e instrumento de Deus para a construção de uma sociedade minimamente saudável.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

O PROPÓSITO DA MORTE, RESSURREIÇÃO E INTERCESSÃO DE JESUS CRISTO




“Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós” (Romanos 8:34 NVI).

       O Apóstolo Paulo, benjamita natural de Társis, ao escrever aos Romanos por volta de 58 a 60 d.C., falou do evangelho de Deus, do mundo culpado, da doutrina de salvação, da lei e graça, dos judeus e gentios, e principalmente da centralidade de Jesus Cristo.
     Especificamente em Romanos 8.34 a Cristo-Centralidade é evidente pela finalidade de três atos redentores. São eles: a morte, ressurreição e intercessão de Jesus Cristo. 
Portanto, consideremos esses propósitos de Jesus Cristo.
        Primeiro, Jesus Cristo e o propósito de sua morte (Gl 1.4). Por que Jesus morreu? J. M. Killen disse que: “A morte do Senhor Jesus resgata-nos da morte eterna, enquanto os atos do Senhor Jesus concedem-nos a vida eterna”. Paulo aos Gálatas diz que foi em obediência, simplesmente em obediência à vontade do nosso Deus, o grande idealizador e Criador de todas as coisas, que Cristo colocou o propósito de se entregar para ser morto e morte de Cruz a fim de nos tirar, nos desraigar de nossos pecados e assim nos livrar deste sistema mundano mau. E tudo isso por amor.
         O amor de Jesus é diferente de qualquer outro tipo de amor. Jesus amou tão intensamente o pecador que se submeteu aos seus algozes, conforme Mel Gibson retratou no filme Paixão de Cristo. Na verdade Jesus fez tudo isso não por paixão, mas por amor, sentimento puro.
         O Dr. Karl Barth, grande pensador suíço, foi talvez o maior teólogo de sua geração em todo o mundo e um notável filósofo. Nem sempre concordo com ele, mas sou um leitor de seus escritos e o respeito. Conta-se que certa vez ele foi aos Estados Unidos, um seminarista lhe perguntou: Dr. Barth, qual é a grande verdade que está sempre presente em sua mente? Todos os alunos esperavam uma resposta longa, profunda, grave e complicada. O Dr. Barth levantou vagarosamente sua cabeça de cabelos grisalhos, olhou para o estudante e disse: “Jesus me ama; e isto sei, porque a Bíblia assim me diz”.
       João 15:9 destaca: "Como o Pai me amou, assim eu os amei; permaneçam no meu amor”. Aceitar e permanecer no amor sacrifical de Jesus é reconhecer a sua obra na cruz do calvário e garantia de salvação eterna.
        Segundo, Jesus Cristo e o propósito de sua ressurreição (1Pe 1.3). C. Parask Vopoulou conta que um homem caminhava ao lado de um cemitério numa noite escura. O céu estava carregado, e não se via uma estrela. Uma garotinha que caminhava no mesmo sentido passou pelo homem, e este lhe perguntou: “Menina, você não tem medo de passar pelo cemitério a esta hora da noite? Ao que a criança respondeu: Não, senhor. Pode ver aquela luz brilhando pouco além do cemitério? Sim, posso, respondeu o homem. Ali é a minha casa. Para lá é que estou indo”.
        Que verdade preciosa! Além do cemitério, há um lar reluzente do nosso Pai celestial. A sepultura vazia da qual o Senhor se ergueu proveio da sua morte. Ressurreto, Cristo não morrerá jamais. E porque Ele vive, nós também viveremos. A vida eterna, não a morte, é que se tornou realidade para nós através da ressurreição de Cristo.
        Pedro pensava assim. Em sua primeira carta (1.3) ele conclamou a todos: “Louvemos ao Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo! Por causa da sua grande misericórdia, ele nos deu uma nova vida pela ressurreição de Jesus Cristo. Por isso o nosso coração está cheio de uma esperança viva.”
       E em terceiro e ultimo lugar, Jesus Cristo e o propósito de sua intercessão (Rm 8.34). Por sermos pecadores, somos constantemente acusados. Satanás nos acusa; nossa consciência nos acusa. Contudo o Apóstolo Paulo levanta o seguinte questionamento: será que alguém poderá nos condenar? Ninguém! “Pois foi Cristo Jesus quem morreu, ou melhor, quem foi ressuscitado e está à direita de Deus. E ele pede a Deus em favor de nós”.
      Thomas Watson asseverou: “A oração, da forma como provém do santo, é fraca e lânguida, mas quando a flecha da oração de um santo é colocada no arco da intercessão de Cristo, ela penetra no trono da graça”.
      Não obstante, não podemos dizer que não temos pecados, pois Deus não é um mentiroso. O necessário é que confessemos os nossos pecados e Ele perdoará as nossas transgressões e nos limpará de toda maldade.
      O mais importante é ter consciência tranquila. Aliás, consciência tranquila vale mais do que a própria vida. Para se ter a consciência tranquila é preciso observa este conselho: “Meus filhinhos, escrevo isso a vocês para que não pequem. Porém, se alguém pecar, temos Jesus Cristo, que faz o que é correto; ele nos defende diante do Pai” (1 João 2:1 NTLH).
      O sublime propósito da morte, ressurreição e intercessão de Jesus Cristo é, sem sobra de duvidas, que os nossos pecados sejam perdoados. E não somente os nossos, mas também os pecados de todo o mundo. E que todos nós nunca esqueçamos de João 3.16: “Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna”.

Sempre em Cristo,

Bibliografia:
BÍBLIA SAGRADA Nova Versão Internacional português-inglês:Holy Bible. São Paulo: Editora Vida, 2003.
PÉROLAS PARA A VIDA. CD ROM. Biblioteca digital.
COLETÂNEA DE ILUSTRAÇÕES. CD ROM. Biblioteca digital.

Gilmar Tavares Reis:
Estudou teologia no Instituto Bíblico das Assembleias de Deus em Pindamonhangaba-SP - IBAD
Pastor auxiliar na Assembleia de Deus Madureira
Coordenador do Programa de Incentivo a Leitura - PIL
Coordenador do Projeto Vau de Jaboque
Professor de Homilética no IBMA
Superintendente da EBD
Líder de Casais
Membro do CPA (Conselho de Pastores de Anápolis-GO)

sábado, 21 de abril de 2012

FELICIDADE PARA O MATRIMÔNIO CRISTÃO


BEM-AVENTURADOS os maridos e mulheres que continuam a serem afetuosos e amantes depois do casamento.

BEM-AVENTURADOS os maridos e mulheres que são polidos e corteses, um para o outro, como são com os amigos.

BEM-AVENTURADOS os que têm o senso de humor, pois este atributo será conveniente para desfazer os atritos.

BEM-AVENTURADOS são os que amam o seu consorte mais do que a qualquer outra pessoa no mundo, e que alegremente cumprem o seu voto de uma vida de fidelidade e auxílio mútuo.

BEM-AVENTURADOS os que conseguem ser pais, pois as crianças são a herança do Senhor.

BEM-AVENTURADOS os que se lembram de agradecer a Deus pelo alimento, e que tomam algum tempo cada dia para a leitura da Bíblia.

BEM-AVENTURADOS os consortes que nunca falam ruidosamente um ao outro, e que fazem da sua casa um lugar onde raramente se ouvem palavras desalentadoras.

BEM-AVENTURADOS os maridos e mulheres que fielmente trabalham juntos na igreja, para extensão do Reino de Deus.

BEM-AVENTURADOS os maridos e mulheres que podem resolver os desentendimentos sem a interferência de parentes.

BEM-AVENTURADO o casal que tem uma completa compreensão das questões financeiras, e que resolvem harmoniosamente quanto ao melhor emprego do seu dinheiro.

BEM-AVENTURADOS os maridos e mulheres que humildemente dedicam suas vidas e sua casa a Cristo, e que praticam os ensinos de Cristo com amor e lealdade.

Autor desconhecido

segunda-feira, 26 de março de 2012

NECESSIDADE MISSIONÁRIA_Continente Áfricano

Por Urani / Reginaldo Veras: Atualidades

O continente Áfricano é hoje o principal foco de tensão do mundo, situação que ocorre da forma como foi feita a sua colonização/descolonização. Temos dois mapas, primeiro mostra como seria o mapa da África se fosse respeitado as divisões éticas, já o segundo mostra a atual divisão da África, determinado pelos colonizadores europeus, devido a isso podemos dizer que:

1.       60% das fronteiras é formado por retas ou de arcos de circunferência, evidenciando a artificialidade das fronteiras;
2.       É possível afirmar que muitos dos conflitos étnicos que existem hoje são reflexos da partilha da África;
3.       Os estados africanos atuais, na sua maioria, não tem unidade cultural, linguística ou cultural;
4.       Existem casos em que um mesmo Estado abriga várias nações ou até uma única nação dividida em dois ou mais Estados.


Os principais problemas africanos hoje são:

Fome: quase metade da população vive abaixo da linha de pobreza (renda inferior a 1 dólar por dia) milhões de africanos são subnutridos ou estão morrendo de fome por inanição (principalmente crianças);

 AIDS: o continente registra 72,5% do total de infectados do mundo;

Doenças: o continente é um grande foco de doenças infectocontagiosas, o que decorre da falta de infra-estrutura e saneamento básico como a cólera, febre amarela, tuberculose, DST, etc;

Guerras civis: Nigéria, Angola, Senegal, Somália, Sudão, Etiópia-Eritéia, entre outros;

 Maior mortandade infantil do mundo: (83 por mil); 

Fundamentalismo religioso/cultural.

"Por que é que alguém deveria ouvir do Evangelho duas vezes, quando há pessoas que não ouviram nenhuma vez?", questionava sempre Oswald Smith

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

400 palavras em inglês num minuto

      O texto abaixo foi extraído de um email que circula na Internet e tem algumas informações interessantes. Confira! Como aprender a escrever 400 palavras em Inglês em apenas um minuto. Se você pensa que estou brincando, experimente ler toda esta matéria e depois me conte. Comece logo a estudar Inglês que, diferentemente do que você pensa, é extremamente fácil de aprender. Bastando apenas a seguir regrinhas elementares.
     Regra 1

        Quero deixar claro que as regras abaixo apresentam uma ou mais exceções, o que demonstra duas coisas: primeiro que tais exceções só servem precisamente para confirmar as regras e, segundo que é bem preferível, errar numa ou noutra ocasião e aprender 400 palavras em inglês num minuto, do que ficar preocupado com a rara exceção… e não aprender nada.
       Para todas as palavras em português que terminem em DADE (como a palavra cidade) retire o DADE e coloque em seu lugar TY e assim CIDADE passou a ser CITY. Vejamos agora um pouco das cento e tantas palavras que você já aprendeu nestes primeiros vinte segundos de leitura deste artigo:
CIDADE = CITY
VELOCIDADE = VELOCITY
SIMPLICIDADE = SIMPLICITY
NATURALIDADE = NATURALITY
CAPACIDADE = CAPACITY

Regra 2

        Para todas as palavras em português que terminem em “ÇÃO” (como a palavra NA-ÇÃO) tire fora o “ÇÃO” e coloque em seu lugar “TION” e assim a palavra NAÇÃO passou a ser NATION (as respectivas pronúncias não importam no momento, e além disso você estaria sendo muito malcriado querendo exigir demais num curso de inglês grátis pela internet!). Vejamos agora algumas das centenas de palavras em que a imensa maioria delas se aplica a essa Regra:
SIMPLIFICAÇÃO = SIMPLIFICATION
NAÇÃO = NATION
OBSERVAÇÃO = OBSERVATION
NATURALIZAÇÃO = NATURALIZATION
SENSAÇÃO = SENSATION

Regra 3

        Para os advérbios terminados em “MENTE” (como a palavra NATURALMENTE), tire o “MENTE” e em seu lugar coloque “LLY” (e assim a palavra passou a ser NATURALLY. Quando o radical em português termina em “L”, como na palavra TOTALMENTE, acrescente apenas “LY”). Veja agora abaixo algumas delas:
NATURALMENTE = NATURALLY
GENETICAMENTE = GENETICALLY
ORALMENTE = ORALLY


Regra 4
        Para as palavras terminadas em “ÊNCIA” (como no caso de ESSÊNCIA), tire o “ÊNCIA” e em seu lugar coloque “ENCE”. Eis algumas delas abaixo:
ESSÊNCIA = ESSENCE
REVERÊNCIA = REVERENCE
FREQÜÊNCIA = FREQUENCE
ELOQÜÊNCIA = ELOQUENCE


Regra 5
      E para terminar esse artigo, ficando ainda com mais água na boca, aprenda a última e a mais fácil delas (há um monte de outras regrinhas interessantes, mas não disponho aqui de espaço para tudo). Para as palavras terminadas em “AL” (como na palavra GENERAL) não mude nada, escreva exatamente como está em português e ela sai a mesma coisa em inglês.
Veja alguns exemplos:
NATURAL = NATURAL
TOTAL = TOTAL
GENERAL = GENERAL
FATAL = FATAL
SENSUAL = SENSUAL


        Conforme você acaba de ver, a menos que seja um leitor preguiçoso e lento, não foi preciso gastar mais de um minuto para aprender 400 palavras em inglês. Façam o favor de dar crédito a quem lhes revelou a dica, tá? Mas não espalhem, senão o mundo vai aprender o idioma em 30 dias.
Autor da dica: Mario Giudicelli, jornalista.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

NECESSIDADE MISSIONÁRIA_Janela 10X40

       
          Janela 10/40 é uma faixa da terra que se estende do Oeste da África, passa pelo Oriente Médio e vai até a Ásia. A partir da linha do equador, subindo forma um retângulo entre os graus 10 e 40. A esse retângulo denomina-se JANELA 10/40.
         Calcula-se que até hoje menos da metade da população mundial com as suas etnias e línguas tenham sido confrontadas com o evangelho. A outra parte, com sua maioria absoluta na Janela 10/40, representa uma grande multidão de cerca de 3,2 bilhões de pessoas que ainda são objetos dos empreendimentos missionários do povo de Deus.

          Os países com as maiores populações não cristãs são: CHINA, ÍNDIA, INDONÉSIA, JAPÃO, BANGLADESH, PAQUISTÃO, NIGÉRIA, TURQUIA e IRÃ, todos na Janela 10/40.

          Devido a estes fatos, torna-se primordial para nós, cristãos, neste novo milênio, focalizar nossos recursos, sejam espirituais, financeiros ou sociais, sobre o necessitado povo que vive na Janela 10/40.

          Se desejamos mudar este quadro, devemos considerar alguns fatos de muita importância:
- O significado Bíblico e histórico

- O domínio do islamismo, do hinduismo e do budismo

- A pobreza acentuada

- A diversidade de línguas e culturas

- A concentração de seitas diabólicas

Países que formam a Janela 10/40

ORIENTE MÉDIO – 21 PAÍSES

Arábia Saudita, Argélia, Catar, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Irã, Iraque, Israel, Palestina, Jordânia, Kuweit, Líbano, Líbia, Marrocos, Mauritânia, Omã, Síria, Sudão, Tunísia e Turquia.

ÁFRICA – 12 PAÍSES
Benin, Burkina, Cabo Verde, Chade, Djibuti, Etiópia, Gâmbia, Guiné, Guiné-Bissau, Mali, Níger e Senegal.

ÁSIA – 21 PAÍSES
Afeganistão, Bangladesh, Barein, Butão, Camboja, China, Coréia do Sul, Coréia do Norte, Filipinas, Índia, Japão, Laos, Malásia, Maldivas, Mongólia, Nepal, Paquistão, Sri Lanka, Tailândia, Taiwan (Formosa) e Vietnã.

EURÁSIA – 3 PAÍSES
Cazaquistão, Turcomênia e Tadjiquistão.

EUROPA – 4 PAÍSES
Albânia, Chipre, Gibraltar e Grécia.

          Nem todos os crentes sabem que no mundo ainda há povos completamente ignorantes da existência de Jesus Cristo e seu plano redentor. Poucos se importam em saber que hoje no oriente há cristãos presos e sendo torturados por causa de sua fé. Quantos têm um programa intensivo de oração pelos povos não alcançados pelo evangelho? Saber que há povos cometendo suicídios e guerras, por falta de esperança ou fanatismo, não é um assunto que interessa a todos os cristãos.

          Os cristãos no mundo estão direcionando apenas 1,2% do seu fundo missionário e de seus missionários estrangeiros para bilhões de pessoas que vivem no mundo evangelizado.

              No mundo ainda há dezenas de país com suas portas total ou parcialmente fechadas à entrada de missionários.

          Há 28 países muçulmanos (sem incluir seis da antiga união soviética), 7 nações budistas, 3 Marxistas e 2 países hindus, formando o maior aglomerado de povos não alcançados.

Porque evangelizar os povos da Janela 10/40

- Porque ali vive o maior número de povos não alcançados pelo evangelho. Cobre 1/3 total do planeta e representa 2/3 da população do mundo. São cerca de 3,2 bilhões de - pessoas em 61 países.
- Porque ali está a maioria dos seguidores das 3 maiores religiões do mundo: Islamismo, Budismo e Hinduismo.

- Porque de cada 10 pobres na terra, 8 estão nessa região.
- Porque dos 50 países menos evangelizados do mundo 37 estão nessa área.
- Porque as maiores Capitais do mundo estão nessa região.
          De acordo com os missiólogos, há diversidades no número de povos não alcançados pelo evangelho hoje. Para Ralph Winter, há 17 mil povos não alcançados e 12 mil línguas. David Barrete declara que são 11 mil o número total de povos não alcançados. Bob Waymire também arrola 11 mil povos diferentes no mundo. Patrick Johnstone avalia em 12.017 o total de povos não alcançados em todo o mundo. Subtraindo desse número os povos entre os quais há cristãos, missionários de fora e autóctones, restam apenas 1.200 povos a serem alcançados. Em sua perspectiva, 99% da população do mundo serão cobertos, inteiramente, com a mensagem do evangelho se ela for transmitida, no máximo, entre 400 e 500 línguas diferentes.
        Então concluímos que missões, ainda não é um assunto sério para muitas igrejas. Enquanto templos são enfeitados e grande parte do tempo é utilizada para inúmeros programas, missões é ocasional, ainda não é assunto íntimo.

O Mundo dos povos não alcançados

Segundo alguns estudiosos, temos aqui algumas estatísticas:
- Cada hora 10.700 crianças nascem e morrem sem escutar as Boas Novas em países da Janela 10/40;

- Cada hora de esforço missionário resulta em 9.800 pessoas escutando o evangelho pela primeira vez;
- O resultado é a redução no mundo não evangelizado de 500 pessoas a cada hora, ou pouco mais que 4 milhões de pessoas por ano.
- 9 em cada 10 países mais pobres do mundo estão na África e 8 destes são parte do mundo menos evangelizado.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

NECESSIDADE MISSIONÁRIA_Guiné-Bissau



Guiné-Bissau, república do noroeste da África, que faz fronteira ao norte com o Senegal, a leste e ao sul com a Guiné e a oeste com o oceano Atlântico. Fazem parte do país aproximadamente sessenta ilhas que constituem o arquipélago de Bijagós. As ilhas maiores são a Formosa e a Orango. A superfície total, incluídas as ilhas, é de 36.125 km2. A capital é Bissau.
Uma planície costeira pantanosa se eleva até um planalto no leste. Numerosos rios formam estuários e são quase todos navegáveis. O clima é tropical e a temperatura média anual chega aos 25o centígrados. A estação das chuvas começa em junho e termina em novembro. A vegetação é composta de manguezais e selvas tropicais na planície costeira, e de savana no planalto. Esta área proporciona, entre outras riquezas, madeiras tropicais duras. Existem depósitos de bauxita, fosfatos, zinco e cobre, mas não é praticada a mineração. Na costa, há jazidas de petróleo.
Tem uma população (2001) de 1.315.822 habitantes; a densidade da população é de 31 habitantes por quilômetro quadrado.
·         A capital, Bissau, segundo estimativas de 1988, tem 138.000 habitantes;
·         Os principais grupos étnicos são os balantes, os fulas ou fulanis, os mandjacos, os malinkês e os pepeles. Os oriundos do Cabo Verde formam uma minoria, pequena mas importante;
·         Do total da população, 65% respeitam as crenças tradicionais, 30% (sobretudo fulanis e malinkês) são muçulmanos e cerca de 5% são cristãos;
·         O idioma oficial é o português (ver Língua portuguesa), mas está muito difundido o crioulo, uma mistura de termos portugueses e africanos.

OBS: Na década de 1980 havia 680 escolas de ensino primário e secundário, que acolhiam mais de 93 mil estudantes. O país tem também escolas de formação de professores para atender os programas governamentais visando reduzir a alta taxa de analfabetismo entre os adultos.
A agricultura é de subsistência, baseada na cultura do arroz, milho, tanchagem e mandioca. Os principais produtos agrícolas com valor comercial são o amendoim — cultivado no interior —, os produtos derivados das palmeiras — que crescem nas ilhas e no litoral — e o caju. A indústria pesqueira é uma importante fonte de divisas. No interior, tem importância a criação de gado. A indústria se resume à transformação de matérias-primas e à produção de bens básicos de consumo. O país tem 5.060 km de estradas, mas só 8% delas está asfaltado. A moeda é o peso, dividido em cem centavos. A constituição aprovada em 1984 outorga o poder legislativo a uma assembléia nacional popular, formada por 150 membros, que designa os 14 membros do Conselho de Estado e seu presidente, que está também à frente do governo. Em 1999, o produto interno bruto era 194,37 milhões de dólares; e o PIB per capita 160 dólares.
Os balantes e os pepeles se estabeleceram no século XII. Em 1446, Nuno Tristão, um negreiro português, visitou a região, que rapidamente chegou a ser um importante centro do tráfico de escravos (ver Escravidão africana). Em 1687, estabeleceu-se um posto comercial português em Bissau, mas franceses e britânicos disputaram a hegemonia aos portugueses. Os britânicos tiveram um breve período de domínio em Bolama, mas, em 1879, Guiné transformou-se em colônia portuguesa. Portugal assinou um acordo com a França, em 1886, que acabou com os conflitos fronteiriços, embora os portugueses tivessem que esperar até 1915 para exercer um poder efetivo no país.
Em 1952, foi uma província de ultramar. Amílcar Cabral, um intelectual cabo-verdiano, fundou em 1956 o Partido Africano para a Independência de Guiné-Bissau e as ilhas de Cabo Verde (PAIGC), que iniciou sua luta no início da década de 1960. Em setembro de 1973, os rebeldes proclamaram uma república independente e pediram o reconhecimento internacional. No dia 10 de setembro de 1974, Portugal outorgou oficialmente a independência de Guiné-Bissau. O novo país, com a presidência do líder do PAIGC, Luís de Almeida Cabral (irmão de Amílcar), estabeleceu o controle do comércio internacional e deu os primeiros passos para um estado socialista, autorizando a nacionalização de todas as grandes propriedades. Um golpe militar proclamou João Bernardo Vieira — integrante do mesmo PAIGC — primeiro-ministro em 1980. Ele foi reeleito em 1994. Em 1997, o país aderiu à zona franca União Econômica e Monetária do Oeste africano. Em julho desse ano, Vieira visitou o Brasil e assinou um acordo de cooperação técnica, outro na área de turismo e um terceiro para a ampliação de número de bolsas de estudo.
  
Enciclopédia Microsoft® Encarta®. Microsoft Corporation.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Martin Luther King Jr.

"Eu tenho um sonho..."
O homem que tinha esse sonho passaria toda a vida à busca dele, daria sua vida a favor dele.
Seu nome era Martin Luther King Jr., e seu sonho era este: "... que um dia meus quatro filhos possam viver em uma nação onde não sejam julgados pela cor de sua pele, mas pelo seu caráter". Essas palavras abalariam os Estados Unidos.
O jovem ministro nasceu em uma família de pastores batistas e foi educado na Morehouse College e no Seminário Teológico Crozer. Ele obteve seu doutorado na Universidade de Boston. Em 1954, tornou-se pastor da Igreja Batista da Avenida Dexter, na cidade de Montgomery, no Estado americano do Alabama.
Um ano depois, uma mulher negra, Rosa Parks, deu um passo que mudaria a vida de Luther King. Embora os negros, de acordo com as exigências, só pudessem ocupar os assentos na parte de trás dos ônibus municipais, ela se sentou na frente, pois os de trás estavam ocupados. Ela ocupou o primeiro assento disponível na parte da frente. Rosa foi presa por quebrar a lei de segregação.
Em apoio a essa mulher, Martin Luther King Jr. liderou um boicote ao sistema de ônibus de Montgomery. Afinal de contas, a maioria dos passageiros daquele sistema de transporte era formada de negros, que estavam sendo tratados de maneira injusta. Desse modo, os negros se recusariam a entrar nos ônibus enquanto durasse a discriminação. Eles achavam que "era mais honroso andar pelas ruas com dignidade do que andar de ônibus e serem humilhados".
Esse boicote durou um ano, mas, por fim, os negros venceram essa luta e, com essa vitória, Martin Luther King Jr. foi lançado na luta pelos direitos civis nos eua.
Influenciado pelo método de não-violência de Gandhi, Luther King e outras pessoas começaram a protestar. "Vamos igualar sua capacidade de infligir sofrimento [...] façam conosco o que vocês quiserem e continuaremos a amar vocês", respondeu Luther King aos seus opositores. Seguindo os passos de Jesus, ele anunciou: "Jesus proclamou na cruz, de maneira eloqüente, uma lei superior. Ele sabia que a antiga filosofia do olho por olho deixaria todo o mundo cego. Ele não combatia o mal com o mal. Ele combatia o mal com o bem. Embora crucificado pelo ódio, ele reagiu com um amor enérgico e ativo".
Com a organização da Conferência Sulista de Liderança Cristã, liderada por Luther King, ele começou a fazer uma campanha nas cidades do sul: Jackson, Selma, Meridian e Birmingham. Entretanto, sua influência, à medida que liderava os ataques às injustiças sociais nas cidades do norte, estendeu-se além disso.
Um círculo bem próximo composto de ministros protestantes negros, entre os quais estava Jesse Jackson, apoiava Luther King, mas, em pouco tempo, brancos, católicos e judeus se uniriam à sua causa. Seu método de não-violência foi recebido com cavalos, cassetetes, cães e espancamentos. Embora muitos cristãos o apoiassem, alguns dos principais oponentes de Luther King também professavam o nome de Cristo. Na primavera de 1963, Luther King foi preso por ter liderado uma marcha de protesto na cidade de Birmingham, no Alabama. Os pastores de Atlanta o criticaram por ter deixado sua igreja em Montgomery. "Que direito ele tinha de se envolver onde não fora chamado?", perguntavam eles.
Em sua Carta de uma prisão em Birmingham, Luther King declarou que "a injustiça em qualquer lugar ameaça a justiça em todo lugar". Para os que não foram alcançados pelos "penetrantes dardos da segregação" e o aconselhavam a esperar, ele respondeu: "... quando você é acossado durante o dia e assombrado à noite simplesmente pelo fato de ser negro, e tem de andar constantemente pisando em ovos, sem nunca saber o que esperar, além de ser incomodado por temores interiores e ressentimentos exteriores; quando você tem sempre de lutar contra uma sensação perversa de não ser considerado gente — então você entenderá por que achamos difícil esperar".
A Marcha até Washington, em 1963, se tornaria um dos acontecimentos mais importantes na história da luta pelos direitos civis, pois, por sua influência, acredita-se que foram aprovadas as leis do direito civil de 1964 e a lei de direito ao voto de 1965. Durante a marcha, Martin Luther King, Jr. expôs o seu sonho: "Eu tenho um sonho, que um dia meus quatro filhos possam viver em uma nação onde não sejam julgados pela cor de sua pele, mas pelo seu caráter [...] Com esta fé, seremos capazes de extrair da montanha do desespero a pedra da esperança. Com esta fé, seremos capazes de transformar as contendas desarmoniosas de nossa nação em uma maravilhosa sinfonia de irmandade. Com esta fé, seremos capazes de trabalhar juntos, de orar juntos [...] sabendo que um dia seremos livres".
Em 1964, Luther King recebeu o prêmio Nobel da Paz, um reconhecimento parcial da validade desse sonho.
Luther King, em 1968, foi para a cidade de Memphis, no Estado do Tennessee, em apoio a uma greve dos coletores de lixo. No dia 4 de abril, enquanto conversava com colegas no corredor externo do segundo andar do hotel, na Mulberry Street, em que estava hospedado, foi alvejado por um assassino. Embora a bala tenha lhe tirado a vida, não pôs fim àquele sonho.
Em resposta à coragem e ao testemunho determinado desse ministro, o dia de Martin Luther King foi instituído nos eua, a terceira segunda-feira de janeiro. Ele é o único ministro religioso americano a ter um dia dedicado à sua honra.

Livro: Os 100 acontecimentos mais importantes da história do Cristianismo.