terça-feira, 12 de abril de 2011

MACHISMO SOB ATAQUE

“Pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes. Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gl 3.26-27).

Içami Tiba é psiquiatra pelo Hospital das Clínicas da FMUSP e já realizou mais de 76 mil atendimentos psicoterápicos a adolescentes e suas famílias em clínica particular. Seus 28 títulos ultrapassam 4 milhões de exemplares vendidos. Proferiu mais de 3.300 palestras, no Brasil e no exterior, para empresas nacionais e multinacionais, escolas, associações e instituições.
Entre seus títulos publicados pela Integrare Editora estão: Adolescentes: Quem ama, Educa!; Disciplina: limite na medida certa – Novos Paradigmas; Ensinar Aprendendo – Novos paradigmas na Educação; Seja Feliz, Meu Filho. Edição ampliada e atualizada; Educação & Amor; Juventude & Drogas: Anjos Caídos; Quem ama, Educa! Formando cidadãos éticos; Família de Alta Performance: Conceitos contemporâneos na educação; Conversas com Içami Tiba; Homem Cobra, Mulher Polvo.
E foi nesse livro Quem Ama, Educa; que Tiba falou sobre o machismo:

“Foi a mulher que arregaçou as magas e se lançou à vida e à profissão batalhando em igualdade de condições com o homem. Essas mulheres eram duronas, agressivas e por vezes masculinas em busca da independência e de um lugar ao sol. Algumas delas 0cuparam cargos antes nunca exercidos por mulheres. Uma das suas precursoras foi Simone de Beauvoir, que no seu livro O segundo sexo, em 1949, dizia: ‘Não se nasce mulher. Torna-se’. Ouso dizer que o machismo tornou feminista a mulher. A mulher feminista é a versão do machismo na mulher”.

Wikipédia, a enciclopédia livre, pensa diferente, quando ela diz que é:

“...bastante comum a idéia de que o feminismo é um equivalete direto ao machismo, o que é equivocado, já que o feminismo apregoa a igualdade de direitos para as mulheres e a libertação feminina de padrões e situações opressoras da sociedade patriarcal, que ainda hoje cerceiam a liberdade das mulheres e restringem o pleno desenvolvimento de sua dignidade humana”.

Não obstante, quero continuar com o pensamento de Tiba, que é a autoridade no assunto no momento. Ele diz que a mãe mudou o rumo da história da educação. Se poucas foram as mulheres que obtiveram “sucesso” na vida, comparadas aos homens, a maior parte das mulheres defenderam em seu lar o quanto a mulher é especial.
As filhas foram inculcadas que tinham que estudar e usar a sua formação para estarem no mercado de trabalho. Já com os meninos, não houve ajustes, só o incentivo de que eles olhassem para as irmãs com respeito, igualdade e que lhes permitissem que elas chutassem também a bola das oportunidades.
E os esposos dessas mulheres, como ficaram? Tiba diz que “Alguns optaram por trocar de lugar com a mulher, permanecendo como o ‘rei do Lar’, outros ‘secretários executivos’ de suas esposas feministas. (rs) Atrás de uma grande mulher tem um grande homem (kkk), pode-se dizer – e outras ainda se acomodaram como se fossem filhos ‘crescidões’”.
Grande parte dos maridos preferiram a competição. Eles, como já escreveu Charles Darwin, continuaram como “machos-alfas”; que na grande maioria deles não são bons educadores, sabem só liderar.
E o que dizer dos machistas brasileiros? Eles receberam no primeiro dia deste ano um beliscão muito forte. O presidente, digo, a Presidente Dilma Rousseff foi empossada depois de uma vitória no segundo turno encima de um “macho-alfa”. Isso serviu para acordar, foi um solavanco, um “pedala Robinho” na cabeça dos machistas, indicando que os tempos mudaram.
Na verdade fico aqui imaginando como fora a educação que a Presidente, sua Excelência, Dilma Rousseff, recebeu de sua estimada mamãe, Dilma Jane Siva Rousseff.
Dilma Jane, ex-professora de primário, tem 86 anos, nasceu na cidade fluminense de Resende, mas morou grande parte da vida em Minas Gerais e agora pode testemunhar sobre a filha, que queria ser bailarina, mas que hoje é a mulher mais poderosa desta grande nação.
Parabéns para todas as educadoras formais e principalmente as informais, as do lar, que sempre quiseram direitos iguais e muitas vezes até tiveram que impor um sistema feminista para dizer que são pessoas, gente.

Por

Pr. Gilmar Tavares Reis      


Patricia Poeta conversa com a pessoa que mais conhece a nova presidente do Brasil. Dona Dilma       Jane Silva Rousseff, a mãe de Dilma.
Confira a entrevista:
http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1628816-15605,00.html

2 comentários:

  1. ...concordo com a mensagem que o senhor quis passar. É evidente o avanço que obtivemos em relação ao pensamento machista, e analisando seu texto lembrei-me da seguinte afirmação: toda ação gera uma reação. De certa forma, podemos considerar que o machismo teve sua parcela de contribuição para impulsionar as mulheres atuais. O feminismo veio não como forma de vingança, mas pela busca do reconhecimento de que as mulheres tem capacidade e determinação, que merecem respeito e o direito de disputar, com os homens, com igual ou maior potencial as oportunidades que a vida oferece, e viver com dignidade. "Nada acontece por acaso..."
    Sorte e abraços!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Que pena que vc não se identificou. Gostei muito de sua participação neste singelo blog. Sempre tive dificuldades de escrever corretamente e essa minha necessidade, levou-me a procurar um professor particular e chegamos a conclusão de não ficarmos só estudando gramática, mas colocá-la em prática na produção de textos. Daí surgiu a idéia do blog. Como vistes, tenho muito o que melhorar. Estou caminhando o caminho textual e espero melhorar muito. Quero sair da mediocridade gramatical e das idéias. Fique a vontade para voltares quando quiser. Até a próxima!

    ResponderExcluir